“Dez chamamentos ao amigo” – poema de Hilda Hilst:

Se te pareço noturna e imperfeita

Olha-me de novo. Porque esta noite

Olhei-me a mim, como se tu me olhasses.

E era como se a água

Desejasse

Escapar de sua casa que é o rio

E deslizando apenas, nem tocar a margem.

Te olhei. E há tanto tempo

Entendo que sou terra. Há tanto tempo

Espero

Que o teu corpo de água mais fraterno

Se estenda sobre o meu. Pastor e nauta

Olha-me de novo. Com menos altivez.

E mais atento.

——————…..—————————

Sobre a poetisa: Apesar de pouco conhecida do grande público, Hilda Hilst foi uma das vozes literárias brasileiras mais importantes do século XX. Vencedora dos principais prêmios da literatura do país, a poetisa, cronista e dramaturga era admirada por grandes escritores como Caio Fernando Abreu e Cecília Meireles.

Nascida em 1930 em Jaú, São Paulo, Hilda Hilst cursou Direito na Universidade de São Paulo e, posteriormente, mudou-se para Campinas. Lá, criou a Casa do Sol, um espaço planejado para servir de inspiração artística e onde recebia artistas e vivia.

Sobre joaoantonio60

Traço de União é um espaço para aqueles que defendem a democracia, a ciência e a preservação do Planeta Terra - azul e redonda.
Esse post foi publicado em Arte. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s