VENDAVAL – poema de Paulo Gabriel

Também eu conheço os porões da alma, o tédio e a paixão.

Atingindo agora pelo vendaval

Que rasga sem pudor as flores no jardim,

Os pretensos donos da verdade pisam a frágil alvorada

incapaz de ouvir a prece

que nasce nos lábios de uma criança

antes de adormecer serena.

Não há ideologia que tenha mais valor

que lágrimas de um morador de rua

na noite sem estrela.

A revolução primeira

começa no coração purificado pelo fogo.

Os mansos possuirão a terra!

Autor: Paulo Gabriel

Sobre joaoantonio60

Traço de União é um espaço para aqueles que defendem a democracia, a ciência e a preservação do Planeta Terra - azul e redonda.
Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s