Tratado geral das grandezas do ínfimo – poema de Manoel de Barros

A poesia está guardada nas palavras — é tudo que eu sei.


Meu fado é o de não saber quase tudo.


Sobre o nada eu tenho profundidades.


Não tenho conexões com a realidade.


Poderoso para mim não é aquele que descobre ouro.


Para mim poderoso é aquele que descobre as insignificâncias (do mundo e as nossas).


Por essa pequena sentença me elogiaram de imbecil.


Fiquei emocionado.


Sou fraco para elogio.

Manoel de Barros

Sobre joaoantonio60

Traço de União é um espaço para aqueles que defendem a democracia, a ciência e a preservação do Planeta Terra - azul e redonda.
Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para Tratado geral das grandezas do ínfimo – poema de Manoel de Barros

  1. Anônimo disse:

    Muito legal, grande Manoel de Barros a mexer com classe na nossa ignorância.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s